sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Ano novo velhas cabeças

Já está circulando pela net a última gafe nacional do ano de 2009, Boris Casoy âncora do jornal da Band, me sai com essa lambança que vocês assistem no vídeo abaixo:



Palavras de Boris - "Que merda... dois lixeiros desejando felicidades... do alto de suas vassouras... dois lixeiros... o mais baixo da escala do trabalho..."

Vocês pensam que eu vou martelar sobre noções básicas de civilidade, como quando a nossa opinião não pode denegrir os outros, não, não vou falar sobre isso.
Não vou discursar sobre a dignidade que há em todo ofício legal, seja ele de apertador de parafusos ou de engenharia de foguetes, também não vou falar nada sobre.

Vou simplesmente falar de um lugar comum que há na nossa sociedade de tradições ibéricas, que é a de filtrar as pessoas por aspectos externos.
Não é apenas o seu Boris que incorre neste erro, ele foi apenas azarado o suficiente para dizer isso em rede nacional.

A alguns anos conversando com alguns garotos da faixa etária de 15 a 17 anos, pude constatar os ecos de uma herança maldita dos colonizadores, os carinhas simplesmente estavam dizendo que não namorariam com determinada garota por ela ser "empregada", eu então com minha pseudo inocência perguntei-lhes de volta.
- Mas vem cá os pais de vocês também não são empregados em seus respectivos serviços?
No que eles me responderam, lamentavelmente:
- É mas eles não lavam o chão das casas.

Eu poderia terminar o post aqui, e já teria dito ou deixado entendido tudo, a conversa com os garotos durou ainda um tempo e eu como mais velho que eles, na época com 21 anos, tentei fazer a cabeça desses mudar um pouco, triste tentativa, infelizmente os jovens crescem aprenedendo a valorar as pessoas por seus cargos, por suas divisas, por sua conta bancária, pelo carro do ano, pela tinta da fachada das casas, mas nunca pelo caráter.

Em outra oportunidade, mais ou menos dois anos atrás, fui apresentado a um executivo de uma importante organização mundial, esta organização mantém Hostpitais, universidades, escolas profissionalizantes, escolas tradicionais, e este senhor é responsável pela rede de ensino nos estados da Paraíba e Rio Grande do Norte, eu o achava um tanto quanto arrogante, até que conheci sua história.
Seu pai desempenhava um papel parecido na mesma organização em que ele hoje trabalha, e ao entrar na universidade decidiu seguir um caminho vitorioso assim como o do seu genitor.
A parte da história da vida dele que mais me chamou atenção foi quando ele contou sobre o dia em que se apaixonou por sua atual esposa, ele disse algo do tipo:
- Ramon, ela era empregada doméstica, as pessoas vinham me perguntar por que eu não escolhi outra moça com mais "NOME", e eu sempre respondia, me apaixonei por ela, não por um nome ou por um rótulo, por que eu sabia que o caráter dela iria acompanha-la em todos os dias que ela estivesse ao meu lado.

Você também deve conhecer vários exemplos de postura correta, talvez tenha protagonizado outras tantas mas de tudo o que escrevi a suma é esta, casos como o do velho Casoy vão continuar nos cercando, o que devemos fazer? mudar mentes, começando pela nossa.


Hasta siempre companheiros, um 2010 Porreta procês ;)

2 comentários:

CamilaTeresa disse...

boy oq foi isso heim?

=x

Pablo disse...

eh o formador de opinião boy kkkkkkkk