quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Não estão ouvindo? São os ventos da mudança!

"Quando os ventos da mudança batem à porta você deve dar ouvidos ao seu som." (Janio Gardiola)


Há poucas semanas tive um embate de idéias com um colega de sala Anderson Ramom (quase xará) sobre a estrutura de marketing do mercado nacional de livros em formato digital, os agora popstars e-books. Ele argumentava qua aqui no Brasil ainda faltava desenvolver alguns aspectos do mix de marketing, que as coisas aqui ainda estão engatinhando, e eu por outro lado tentei contra-argumentar citando o exemplo de algumas grandes empresas do mercado livreiro nacional.

Para minha derrota ideológica, nosso professor de Gestão do Conhecimento, Guilherme Ataíde, que não ouviu o debate, chega na sala se lamentando pois havia comprado um Kindle e nele conseguia comprar livros muito bem obrigado pelo site da Amazon, entretanto quando tentou comprar e-books pelo site da editora Saraiva foi impedido pela alegação de que seu cartão é Internacional ¬¬ me responda se não é pra ficar neurastênico com uma resposta dessas.

Pra completar meu fevereiro, semana passada ocorreu aqui em minha capital Filipeia de Nossa Senhora das Neves, vulgo João Pessoa - PB, um festival internacional de livros. Eu fui lá todo ancho, pensando que encontraria um stand que apresentasse essa nova realidade tecnológica, essa nova febre mundial. Mas pro meu desgosto nada, nadinha mesmo sobre o assunto, nem um cartaz, nem um garoto segurando uma cartolina.

O bonde vai passando, quem ficar de bobeira vai perder sua pisada. Quanto a frase do início do post, eu inventei agora e inventei esse nome autor, maneiro né :D, fala ai se não deu uma credibilidade.

Pra vocês irem entrando no clima, vejam o vídeo de apresentação do Kindle pelo prof. Guilherme Ataíde:



Um texto interessante sobre a emergência dos e-books clique aqui

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Luto

É interessante da dinâmica da vida, você não acha?
Discutia esse tema essa semana em uma disciplina de Sistemas de informação (por incrível que pareça), alguém levantou a questão de como partículas fundamentais(atômicas) se ligaram e foram aumentando o nível de complexidade de suas relações até chegarem a formar uma organela e essa compor uma célula, e essa algum tecido diferente do corpo de um animal e dos distintos animais que conhecemos (ufa). Uns colegas apostaram na idéia da bruta força natural proposta na teoria da evolução das espécies, eu prefiro pensar em desígnio, em projeto, em vontade executada.
Esses pensamentos sobre a vida voltaram enquanto eu dirigia meu uninho branco até uma central de velórios aqui da capital paraibana, Minha avó faleceu hoje.

. . .

A partir de quando os homens passaram a enterrar seus mortos? A se preocupar com a vida? Ou melhor, com a morte.
Você já parou pra pensar nisso? Os caras que acreditam na evolução chutam coisa de milhares de anos, sei lá quanto é isso! Tudo o que eu sei é que até hoje de manhã aquele corpo inerte estava sendo ventilado pelo sopro da vida, ainda que de forma modesta. Agora possui tanta vida quanto um tronco de mogno, quanto uma pedra de marmore, mas aquele feixe de moléculas tem um significado que árvore alguma ou mineral algum poderia ter, aquele agrupamento de células até alguns dias atrás proferia bençãos para seus netos e filhos, se lamentava por alguns caminhos que a vida tomou, sentia os sabores da nostalgia e da melancolia.
E em mim posso sentir uma parcela do que ela representava, não chorei muito, preferi me resignar, e pensar em coisas agradáveis do tempo que convivi com ela.
Sei que não sou nem de longe um personagem de "Cem Anos de Solidão" de Garcia Marques, minhas relações familiares não são tão trágicas, de tal forma que a saída de cena de dona Lourdes foi como sua vida, discreta, sem alarmes, pragmática e direto ao ponto.

. . .

Será que vou terminar o post assim mesmo? Sem pé nem cabeça? E o debate inicial evolução x design inteligente, não vou abordar mais nada?

Ah deixa que as idéias se digladiem por enquanto, logo logo Jesus vai voltar e explicará tudo tin-tin por tin-tin, o que me toma o pensamento agora é pensar na alegria de ver minha vó ser puxada do ceio da terra por mãos de anjos, e aí meu amigo.... o resto é resto.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Desenheiros



Esses caras são intriguentos mesmo kkkk. Apresento-lhes Jack Herbert, um grande artista dos quadrinhos. para acompanhar mais do seu trabalho basta clicar aqui .

sexta-feira, 25 de junho de 2010

O mar não dissolve, revela

Sabe aqueles fatos que você conta aos seus amigos que simplesmente não dá pra acreditar de primeira sem fazer uma cara de bunda antes, e dá um trabalhão pra você provar que é verdade? Pois é quero deixar registrado aqui uma história desse quilate.
Como é sabido e lamentado por todos as chuvas de junho têm castigado a zona da mata Nordestina, de forma mais devastadora nos estados de Pernambuco e Alagoas, o fato é que cidades inteiras foram arrasadas, bom até aí todos estão sabendo, e é fácil de acreditar, mas o que provavelmente vai ser história da carochinha daqui a uns 15 anos é a triste realidade que se vê no vídeo a seguir.




O ponto principal dessa postagem não é ter razão política, ainda que sirva para tal, como parco indício do descaso da mídia e do poder público que estão inebriados com vuvuzelas e jabulanis na glamourosa copa do mundo. O sentido maior de eu ter escrito esse post é para registrar que um dia a terra estava tão cheia de nós que agonizava como uma mulher em vias de abortar, e que eu, um simples cidadão e expectador, era obrigado a me impressionar com a natureza e com os homens mais uma vez.

Sabe, no futuro ainda haverá quem duvide da veracidade de tudo o que está acontecendo hoje. Espero em Deus que as coisas não se encontrem em uma situação tão crítica, que os acontecidos de hoje não sejam meros ocorridos corriqueiros.

sábado, 9 de janeiro de 2010

ISMO, qual é o seu?

Nunca antes na história desse Brasil a informação nos foi tão facilmente disponibilizada (não graças ao Lula), graças sim a Internet, esta matrona que recebe tudo e todos, e que infelizmente recebe uma quantidade imensa de lixo.

Porém num trabalho de garimpar na merda pode-se encontrar pérolas, não poucas graças a Deus, como esta que disponibilizo ai embaixo, vídeo que me foi indicado pela queridíssima Cinthia Maria, uma pensante formadora de opinião (artigo cada vez mais raro hoje em dia).

Lembro que em minha adolescência poucas vezes os debates escolares giravam em torno da questão étnica, falava-se sobre sexo na adolescência, sobre aborto, Drogas, não que este assuntos não sejam importantes, mas faltou a gerações inteiras o suporte escolar quanto a questão de respeito étnico, para mim era óbvio que as pessoas eram iguais, tá bom, nem sempre vai! sempre tinha aquele amigo negro que quando fazia algo errado, todo mundo dizia "só pode ser coisa de preto mermo!" Se alguém fazia um serviço mau feito, já vinha o popular: "Já está fazendo serviço de nego!" e aquelas muitas piadas que vão se tornando parte da cultura do povo, as crianças vão aprendendo no berço a separar os bons e os maus pela cor da pele.

Eu expus a negligência das escolas, não porque esteja querendo jogar toda a carga de responsabilidade de educação social para elas não, mas porque sei que nas inúmeras famílias do meu país, as pessoas aprendem sempre que os de pele escura são maus e os de pele clara são os bons, e isso se reflete na tentativa do governo federal de separar por mais aptos ou menos aptos quando institui um sistema de cotas para alunos negros entrarem nas universidades, é exatamente o tipo de coisa que daqui a 20 anos vamos nos horrorizar com a postura do país "naquela época".
vou deixar de papo, o vídeo aí embaixo já diz tudo, depende de você, iniciar o debate, ou continuar calado para sempre.



Obrigadão mesmo Cinthia!

Hasta siempre!

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Para 2010 não devemos esquecer....

Ora, 2009 foi um ano de oportunidades, umas abraçadas, outras desperdiçadas, outras nem consideradas.
A oportunidade para o crescimento do intelecto do brasileiro médio também estava lá mas preferiram não mover uma pena para educar o povo, abriram-se diversas oportunidades para o debate acerca das mudanças climáticas, mas ninguém quis debater, parece que todo mundo concorda com o que o Nobel Gore fala e ponto final. O outro Nobel da paz o mais novo de todos o Obama, aumentou o número de tropas dos EUA no Iraque. E mais um sem fim de situações em que tivemos a oportunidade de meter o bedelho... e deixamos para lá.

Então um viva ao ano das oportunidades! VIVA! Agora abracemos fraternalmente 2010, ou vinte dez pros mais chegados do engatinhante ano.

Já completaram os ritos de passagem?

Bicudo então em 2009, e tratem 2010 como o filho malandro que já tem 17 anos, olhe dentro dos olhos dele e diga tudo o que ele não pode esquecer:

1 - Nós deixamos Sarney impune, fomos enganados com as mais esfarrapadas das desculpas;

2 - Renan, Collor, Heráclito e seu Inácio fizeram o cercado que o ex-presidente necessitava;

3 - Tome nota detalhada das orgias que os líderes políticos dos seus estados andam praticando, isso lhe será bastante útil;

4 - O Judiciário, se não for feito nada, continuará sendo essa velha meretriz que se vende caro por que tem quem banque os luxos;

5 - Seja Serra, Dilma, Ronald Macdonald ou até mesmo o vergonhoso Bóris Casoy o nosso próximo presidente, se você não tomar as rédeas caro vinte dez, tudo vai ser novo denovo, nos jogando de onde já caímos;

6 - FINAL - lembre-se disto, menino 2010, na hora de ir às urnas;


LEMBRE-SE, LEMBRE-SE, LEMBRE-SE..... um mantra pra curar o esquecimento, a pior doença do brasileiro.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Ano novo velhas cabeças

Já está circulando pela net a última gafe nacional do ano de 2009, Boris Casoy âncora do jornal da Band, me sai com essa lambança que vocês assistem no vídeo abaixo:



Palavras de Boris - "Que merda... dois lixeiros desejando felicidades... do alto de suas vassouras... dois lixeiros... o mais baixo da escala do trabalho..."

Vocês pensam que eu vou martelar sobre noções básicas de civilidade, como quando a nossa opinião não pode denegrir os outros, não, não vou falar sobre isso.
Não vou discursar sobre a dignidade que há em todo ofício legal, seja ele de apertador de parafusos ou de engenharia de foguetes, também não vou falar nada sobre.

Vou simplesmente falar de um lugar comum que há na nossa sociedade de tradições ibéricas, que é a de filtrar as pessoas por aspectos externos.
Não é apenas o seu Boris que incorre neste erro, ele foi apenas azarado o suficiente para dizer isso em rede nacional.

A alguns anos conversando com alguns garotos da faixa etária de 15 a 17 anos, pude constatar os ecos de uma herança maldita dos colonizadores, os carinhas simplesmente estavam dizendo que não namorariam com determinada garota por ela ser "empregada", eu então com minha pseudo inocência perguntei-lhes de volta.
- Mas vem cá os pais de vocês também não são empregados em seus respectivos serviços?
No que eles me responderam, lamentavelmente:
- É mas eles não lavam o chão das casas.

Eu poderia terminar o post aqui, e já teria dito ou deixado entendido tudo, a conversa com os garotos durou ainda um tempo e eu como mais velho que eles, na época com 21 anos, tentei fazer a cabeça desses mudar um pouco, triste tentativa, infelizmente os jovens crescem aprenedendo a valorar as pessoas por seus cargos, por suas divisas, por sua conta bancária, pelo carro do ano, pela tinta da fachada das casas, mas nunca pelo caráter.

Em outra oportunidade, mais ou menos dois anos atrás, fui apresentado a um executivo de uma importante organização mundial, esta organização mantém Hostpitais, universidades, escolas profissionalizantes, escolas tradicionais, e este senhor é responsável pela rede de ensino nos estados da Paraíba e Rio Grande do Norte, eu o achava um tanto quanto arrogante, até que conheci sua história.
Seu pai desempenhava um papel parecido na mesma organização em que ele hoje trabalha, e ao entrar na universidade decidiu seguir um caminho vitorioso assim como o do seu genitor.
A parte da história da vida dele que mais me chamou atenção foi quando ele contou sobre o dia em que se apaixonou por sua atual esposa, ele disse algo do tipo:
- Ramon, ela era empregada doméstica, as pessoas vinham me perguntar por que eu não escolhi outra moça com mais "NOME", e eu sempre respondia, me apaixonei por ela, não por um nome ou por um rótulo, por que eu sabia que o caráter dela iria acompanha-la em todos os dias que ela estivesse ao meu lado.

Você também deve conhecer vários exemplos de postura correta, talvez tenha protagonizado outras tantas mas de tudo o que escrevi a suma é esta, casos como o do velho Casoy vão continuar nos cercando, o que devemos fazer? mudar mentes, começando pela nossa.


Hasta siempre companheiros, um 2010 Porreta procês ;)