sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Milésimo, Um de alguns.

Tô cheio de trabalho pra digitar, cheio de idéias pra poder incrementar meu anteprojeto de mestrado, mas não podia deixar passar em branco este data tão emblemática para o povo brasileiro.
É que a 40 anos atras Seu Edson Arantes mandou a pelota pro fundo das redes pela milésima vez. para quem pensa que é uma marca fácil, analise o retrospecto de um centro avante de ponta da atualidade, o Ronaldo "buxudo" Nazário, por exemplo, soma pouco mais de 310 gols na carreira.
Salvas as devidas proporções, levando em consideração o tempo em que atuaram, e analisando a silhueta do black aí do lado dá pra entender que entre os diferenciados, Pelé se destacava e se destacaria hoje também.

Eu não sou fã incondicional do cara, na verdade fã não é bem a palavra certa. Talvez por que eu goste de contestar o que as pessoas tomam como unanimidade. Não o intitulo Rei de nada, não o considero "melhor de todos os tempos" por considerar, além de uma jogada marketeira da FIFA, um desrespeito aos jogadores que também fizeram histórias positivas no futebol.

Entretanto, apesar, das minhas opiniões, não posso também ser irresponsável ao ponto de dizer que o cara não construiu nada pra identidade do povo brasileiro, sim construiu, o Pelé além de nos projetar para o mundo, sendo por muito tempo nossa cara pros estrangeiros poderem ver (tem seu lado bom e ruim nisso), ele também, juntamente com a seleção canarinho, foi ferramenta de "mascaramento" da real situação brasileira tendo dado carona nos seus dribles para o governo militar entreter uma grande parte da nação.

Bom o gol ocorreu como ocorrem a maioria dos gols de pênalti, Pelé corre em direção a gorduchinha que estava desansando sobre a bola branca pintada de cal na área do Vasco da gama, afirma que apesar da experiência suas pernas tremeram, então ele correu em direção à pelota e guardou-a no fundo do gol. O Brasil ficou em polvorosa, o maracanã foi invadido, seo Edson foi conduzido nos braços, e proferiu algumas palavras a seus súditos, falou que o Brasil não podia jamais esquecer das criancinhas, as vezes acho que ele não tinha o que falar, e só lhe veio isso, talvez uma preocupação legítima, um dia quem sabe entenderemos, e até mesmo seguimos o conselho, por que as criancinhas andam meio escanteadas.

Apesar de ter decepcionado quando tentou abrir a boca, Afinal a frase do não menos genial Romário ainda está em voga "Pelé calado é um poeta!" O que sei é que Pelé venceu, foi muito bom no que fazia, encantou o mundo com seus gols, com seu jeito de ser Brasil, e quanto a isso é dificil lutar, atleta competente, e muito inteligente fisicamente, com jogadas incomparáveis. O que o diferencia de Maradona por exemplo? É que Pelé não cheirou cocaína, colocou o filho pra cafungar no lugar dele (putz não resisti tinha que dizer essa).


"O difícil, o extraordinário não é fazer mil gols, como Pelé. É fazer um gol como Pelé". (Carlos Drumond de Andrade)

Nenhum comentário: