sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Milésimo, Um de alguns.

Tô cheio de trabalho pra digitar, cheio de idéias pra poder incrementar meu anteprojeto de mestrado, mas não podia deixar passar em branco este data tão emblemática para o povo brasileiro.
É que a 40 anos atras Seu Edson Arantes mandou a pelota pro fundo das redes pela milésima vez. para quem pensa que é uma marca fácil, analise o retrospecto de um centro avante de ponta da atualidade, o Ronaldo "buxudo" Nazário, por exemplo, soma pouco mais de 310 gols na carreira.
Salvas as devidas proporções, levando em consideração o tempo em que atuaram, e analisando a silhueta do black aí do lado dá pra entender que entre os diferenciados, Pelé se destacava e se destacaria hoje também.

Eu não sou fã incondicional do cara, na verdade fã não é bem a palavra certa. Talvez por que eu goste de contestar o que as pessoas tomam como unanimidade. Não o intitulo Rei de nada, não o considero "melhor de todos os tempos" por considerar, além de uma jogada marketeira da FIFA, um desrespeito aos jogadores que também fizeram histórias positivas no futebol.

Entretanto, apesar, das minhas opiniões, não posso também ser irresponsável ao ponto de dizer que o cara não construiu nada pra identidade do povo brasileiro, sim construiu, o Pelé além de nos projetar para o mundo, sendo por muito tempo nossa cara pros estrangeiros poderem ver (tem seu lado bom e ruim nisso), ele também, juntamente com a seleção canarinho, foi ferramenta de "mascaramento" da real situação brasileira tendo dado carona nos seus dribles para o governo militar entreter uma grande parte da nação.

Bom o gol ocorreu como ocorrem a maioria dos gols de pênalti, Pelé corre em direção a gorduchinha que estava desansando sobre a bola branca pintada de cal na área do Vasco da gama, afirma que apesar da experiência suas pernas tremeram, então ele correu em direção à pelota e guardou-a no fundo do gol. O Brasil ficou em polvorosa, o maracanã foi invadido, seo Edson foi conduzido nos braços, e proferiu algumas palavras a seus súditos, falou que o Brasil não podia jamais esquecer das criancinhas, as vezes acho que ele não tinha o que falar, e só lhe veio isso, talvez uma preocupação legítima, um dia quem sabe entenderemos, e até mesmo seguimos o conselho, por que as criancinhas andam meio escanteadas.

Apesar de ter decepcionado quando tentou abrir a boca, Afinal a frase do não menos genial Romário ainda está em voga "Pelé calado é um poeta!" O que sei é que Pelé venceu, foi muito bom no que fazia, encantou o mundo com seus gols, com seu jeito de ser Brasil, e quanto a isso é dificil lutar, atleta competente, e muito inteligente fisicamente, com jogadas incomparáveis. O que o diferencia de Maradona por exemplo? É que Pelé não cheirou cocaína, colocou o filho pra cafungar no lugar dele (putz não resisti tinha que dizer essa).


"O difícil, o extraordinário não é fazer mil gols, como Pelé. É fazer um gol como Pelé". (Carlos Drumond de Andrade)

sábado, 14 de novembro de 2009

O ateismo novo = neoateismo = a falta de crença no que?

O seguinte texto traz na íntegra os comentários de Michelson Borges sobre o ultimo peteleco da Galileu no esforço de combater Deus.

"Neoateísmo: o novo nome da velha descrença
A revista
Galileu do mês passado sem querer ajudou a reforçar o tema da minha dissertação de mestrado ao publicar o seguinte subtítulo na matéria "Deus está morto?": "Livro e filme recém-lançados engrossam o coro dos neoateístas e juntam novos argumentos contra a fé religiosa" (p. 72). A questão é: Será que o neoateísmo é toda essa novidade que a mídia vem apregoando ou se trata unicamente do velho ateísmo com seus argumentos surrados, mas agora grandemente incensados pelos meios de comunicação? A matéria (nem dá pra chamar de reportagem, pois "ouviu" apenas um lado), à semelhança de outros textos panfletários publicados nas páginas de Galileu e Superinteressante, se sustenta apenas em duas fontes: o novo livro do ateu Sam Harris, A Morte da Fé - Religião, Terror e o Futuro da Razão, e o mal educado documentário do comediante Bill Maher, Religulous - Que o Céu Nos Ajude (religulous é a mistura das palavras "religioso" e "ridículo"). Mas, afinal, esse livro e o filme trazem algo de novo à controvérsia entre ateus e teístas? Vejamos.

Pra começo de conversa, a matéria da Galileu é tremendamente ufanista e supercial, desprezando séculos de discussões teológicas e afirmando que o vídeo e o livro de Harris "têm em comum a oferta de bem-nutridos argumentos para demolir de vez o mais resistente dos mitos: Deus". E os "argumentos demolidores" são: (1) a Bíblia é ultrapassada porque, segundo eles, afirma que a Terra é plana; (2) a Bíblia não pode ter sido escrita por Deus; (3) a religião é causa de conflitos humanos passados e presentes; (4) a religião é intrinsecamente intolerante; (5) a fé não é sustentada por provas concretas.

Confesso que dá até preguiça comentar esses pontos, mas vamos lá...

1. Segundo o livro Inventando a Terra Plana, de Jefrey Burton Russel, a Bíblia não apresenta o mito da Terra plana e muito menos a tese geocentrista. Esse é um grande mal entendido histórico que os neoateus insistem em desconhecer e vivem trombeteando.

2. A Bíblia, de fato, não foi escrita por Deus. Isso é básico para quem a lê. Mas Harris escreveu: "A crença de que certos livros foram escritos por Deus (que, por motivos misteriosos, fez Shakespeare um escritor muito melhor do que Ele mesmo) nos deixa impotentes para lidar com a causa mais poderosa dos conflitos humanos, passados e presentes." Foram seres humanos que, inspirados por Deus, escreveram a Bíblia e ela própria afirma isso - mas, pelo jeito, nem Harris, nem o autor da matéria a leram. (Recomendo a leitura do texto "A Bíblia Sagrada é inerrante?")

3. Extremistas religiosos realmente fizeram coisas erradas em nome da religião. Tivemos as Cruzadas, a "Santa" Inquisição e temos os terroristas islâmicos. Mas isso não signifca que todos os religiosos sejam assassinos. Aliás, se quisermos saber o que é o verdadeiro Cristianismo, temos que conhecer a pessoa e as propostas do fundador do Cristianismo: Jesus Cristo. Ele jamais faria o que alguns têm feito em nome da religião. Na verdade, Jesus deu a vida pelos que O perseguiram. Para Harris, o antídoto para a progressão da barbárie no século 21 estaria no esvaziamento do poder ra religião. Errado. Estaria no combate aos grupos terroristas de qualquer tipo. Aliás, sempre é bom lembrar (porque a mídia secular parece esquecer) que, segundo O Livro Negro do Comunismo, os regimes comunistas ateus foram responsáveis por mais de 100 milhões de mortes, muito mais do que a Inquisição e as Cruzadas somadas. Mas isso não significa que todos os ateus e todos os comunistas sejam assassinos e que tenhamos que combatê-los. Repito: temos que combater os assassinos, quer sejam "religiosos", quer sejam ateus.

4. Intolerante é quem prega que deve existir liberdade de pensamento, desde que não seja o pensamento religioso.

5. É verdade que a fé "é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem" (Hb 11:1). Mas isso não significa que não haja evidências que substanciem essa fé. A arqueologia, por exemplo, demonstra que o pano de fundo histórico das Escrituras (que alimentam em parte essa fé) é fidedigno. Por que a mensagem religiosa desse livro também não seria confiável? Galileu sustenta que só devemos nos convencer "de que alguma afirmação é verdadeira se ela for sustentada por provas concretas" e que "fé não é nada mais que a disposição para aguardar as provas". Pois bem, então ateus e darwinistas são pessoas de muita fé. Claro, afinal, onde estão as "provas concretas" do surgimento da vida a partir da não-vida? Onde estão as "provas concretas" de que a informação complexa especificada da qual a vida depende simplesmente surgiu em algum momento? Finalmente, onde estão as "provas concretas" da não existência de Deus?

Além de comparar a fé cristã à crença em astrologia, feitiçaria e ovnis (pra variar), a matéria menciona um trecho do filme Religulous: diante de um cristão, o apresentador lança a pergunta: "Já que você sabe que vai para o Paraíso, por que não se mata?" Pois é, esse é o nível do "documentário" que serve - junto com o livro de Harris - de coluna vertebral para a matéria de Galileu.

Para encerrar, eu não poderia deixar de comentar sobre as fotos de mau gosto que ilustram a matéria, como a do crucifixo caído no chão, o menorah (castiçal) derrubado, e a pior: uma mulher deixando a burca no chão e saindo - ao que tudo indica - nua. Neste caso, Galileu vai de um extremo ao outro: do absurdo da vestimenta islâmica que isola a mulher do mundo à sugestão de que a liberdade consiste em libertinagem. São fotos grandes, duas delas de página inteira, talvez para "encher linguiça" e esticar o texto que ocuparia no máximo três páginas.

Ainda estou esperando os "argumentos demolidores".

Michelson Borges

Se você quiser se aprofundar no assunto, sugiro a leitura dos seguintes livros, entre outros que nunca apareceram nas páginas de certas revistas: Um Ateu Garante: Deus Existe, Não Tenho Fé Suficiente Para Ser Ateu, Ortodoxia, As Grandes Questões Sobre a Fé (de Jonathan Hill), O Delírio de Dawkins, Escavando a Verdade e Por Que Creio."

O que eu acabo concluindo, mes amis, o que o velho Josué havia concluído a muito tempo atras, independente do que seja a vontade do mundo, independente do que todo mundo queira que seja a verdade, prefiro afirmar "eu e minha casa serviremos ao SENHOR".