domingo, 4 de outubro de 2009

Como a Bússola....

A palavra princípio pode admitir diversas definições: início, começo, origem, causa primária, máxima, sentença.

porém a definição que vai mais me ajudar no raciocínio que estou construindo com você agora é a definição de princípio enquanto norma ou preceito moral.

Nós sempre podemos recitar os conselhos morais que nossos responsáveis, se responsáveis de fato, nos transmitiram ao longo dos anos. Não mecha no que não é seu, não ludibrie os outros, não minta, seja educado, cortez, seja obediente...

Quando crescemos somos confrontados com uma realidade deveras mais complicada que a da nossa casa na infância, as competições por posição na sociedade fazem a máxima maquiavélica, de que os fins justificam os meios, ser um pouco mais "aceitavel".

a paráfrase Shakespeariana, Mentir ou não mentir, é uma questão que merece uma interpretação maior, trapacear pode ser uma boa, contanto que as pessoas não descubram, putz mas sempre descobrem, cedo ou tarde. E os princípios? Seu destino é o fundo do abismo, pois como já dizia o meu vô Ayrton(conforme me repassou o meu pai), "nunca perca a honra, meu filho, por que depois de perdida dificilmente se pode recuperar".

A um mês, mais ou menos, um jovem de brasão no mundo automobilistico vem sendo alvo dos holofotes por uma conduta um tanto "desviada", se é que você me entende.

Bom estamos falando do piquezin, que participou da marmelada da Renaut no GP de Cingapura ano passado e agora é pivô de um jogo de empurra-empurra no maior estilo, "a idéia foi dele"!
A FIA e o mundo parecem preocupados em descobrir quem foi o autor da ópera, mas estão desviando o olhar de quem mais interessa, os executores dos atos.
Tenha sido o Nelsinho, ou o Briatore, ou o alto escalão da Renaut, qualquer um que tivesse tido a brilhante idéia não seria tão culpado quanto os que foram coniventes com a good idea?

Tem uma máxima que diz que pra cada doido tem um pior pra seguir suas idéias(inventei a máxima agora kkkk)

Então seguindo esse raciocínio todo mundo na história está errado, e merece a punição equivalente a seu erro, seja ele de idealizar, seja ele de executar, seja ele de ter ficado tanto tempo em silêncio.

Uma escritora norte americana que viveu a segunda metade do século XIX e pouco mais de uma década do século XX, chamada Ellen Gould Harmon White, escreveu vários livros embasados em princípios do cristianismo, muitas de suas obras são livros de cabeceira para diversos ícones, devido a sua firmesa no escrever transitando sobre diversos campos do conhecimento. Em um livro seu intitulado Educação ela constata:

"A maior necessidade do mundo é a de homens - homens que não se compram nem se vendam; homens que
no íntimo da alma sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o erro pelo seu nome; homens, cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao pólo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus"

A constatação da sábia senhora faz eco em todos os corações pois, a seu tempo, todos já ouvimos conselhos iguais a este, se não com a mesma riquesa literária, mas com o mesmo fundo moral, onde nossos pais avós e tios diziam, SEJA UM HOMEM (MULHER) DE PRINCÍPIOS.

Como fã de automobilismo acho o Piquet Kid muito fraco enquanto piloto, sempre o achei um canastrão (Herança do pai), mas não posso deixar de olhar pro lado humano, o cara disse pro mundo inteiro que já aprendeu a lição, porém diferente da nossa casa quando prometiamos aos nossos pais "nunca mais fazer aquilo novamente" a vida real costuma dar um castigo um pouco mais severo, cobrando com juros as chineladas que nossos pais nos negligenciaram, cobrando corrigido e paulatinamente a falta que fizeram os conselhos mais chatos da infância-adolescência.

O Piquet aprendeu do pior jeito, aprendeu quando foi pego no pulo. Será que vale a pena viver de cabeça baixa como se a vertebral fosse de gelatina?
Será que vale não conseguir olhar seus iguais nos olhos?

Conselho que fica é escrever na mente o que disse a vovó white no afã de moldar no caráter a consciência tão fiel ao dever como a bússola o é ao pólo; e ser alguém que permanece firme pelo que é reto, ainda que caiam os céus, ainda que tudo dê errado, ainda que .....

Enfim.

Nenhum comentário: