segunda-feira, 13 de julho de 2009

É som de Preto e Favelado

Eu não gosto de tachar as pessoas por nada que seja casca: roupas, pertences, grana, cor da pele, cabelo(ou falta dele) não são bons parâmetros pra se definir alguém. Antes prefiro meditar acerca de atitudes, de sentimentos e de posturas.

Por isso vez por outra venho com uma diatribe, ataco mesmo às instituições do momento, as celebridades. Elas são financiadas por tudo o que menos presta na sociedade, dentre elas: as revistas que ditam o que é belo, os donos do morro e suas cachorras, as maiores marcas e seus bonecos de vodu retardados (e pra me dar uma pontinha de inveja, milionários).

Mas falemos das pérolas e não dos porcos, fui criado ouvindo muita música boa, costumo superestimar o passado, porque prefiro comparar as coisas com o que vivenciei. Em minha casa, por exemplo, se escutava música de primeira, fôsse ela brasileira ou não. minha mãe sempre teve aversão (a palavra é essa) a qualquer lixo sonoro produzido, e esta cultura, graças ao BOM DEUS, nos foi transmitida.

Gosto muito de escavocar o passado e o youtube dá uma mãozinha sempre. Alguém um dia disse que o Youtube iria derrubar governos, se isso vai ocorrer eu não sei, mas tenho a certeza de que sem um artifício como ele, preciosidades como esta que eu posto logo abaixo não estariam ao alcance de quaquer um.




Por que com tanta coisa boa nós nos passamos a permitir que o lixo invada nossa cultura?
Por que o som do preto e do morro se tornou tão bundificado(bundalizado, sei lah, inventei)?
você já parou pra pensar sobre isso?
então fique indignado, e ouça cartola!

Afinal, ainda é cedo amor......

Um comentário:

Jamad disse...

Ramon, precisamos sim perceber que a cultura popular não é cultura menor, menos requintada, sem beleza mas uma cultura ao alcance : das mãos, dos ouvidos, da língua, do pensamento!!
Eu vivi perto de favela!E posso dizer que não é fácil pra eles! Mas que, tirando o que tinham de melhor , realmente são felizes
jamaci