segunda-feira, 30 de março de 2009

Nômade, e por que não?

Não vou procurar o que os dicionários dizem sobre nomadismo, acho que somos grandinhos pra saber do que se trata não é? Andar com ou sem destino, ir, migrar, levar os sonhos nas solas dos pés. Não sei vocês, mas sempre que penso nos quem têm por patria a estrada logo me vem a mente a imagem do cigano, uma fotografia sem rosto de um sujeito com um lenço na cabeça, pilotando uma morosa charrete cheia de balagandans, crianças e novidades. Acho que fui influenciado pela a imagem de Melquíades, personagem do inesquecivel livro "cem anos de solidão" de Gabriel Garcia Marques, livro este que traz nestas pessoas peculiares um modo sazonal de entretenimento para a pacata Macondo.
Desde criança me chama a atenção o estilo de vida de quem vive nomadeando(eu e meus neologismos), quando eu estava na 5ª série primária um grupo de teatro mambembe chamado "Carroça de Mamulengos" se apresentou na escola onde estudei, lembro-me vagamente das apresentações, cheias de regionalismos, repletas de músicas resgatadas das antigas cirandas e cocos nordestinos, canções que eram usadas pelos palhaços dos antigos circos para animar a platéia, mas lembro-me bem dos filhos da família mambembe, que participavam do espetáculo de forma primorosa, crianças como eu naquela época, tinham prioridades distintas das minhas, aqueles garotos faziam parte do espetáculo, artistas por sua natureza inspiravam os sonhos de qualquer guri fanático por aventuras.
A uns três anos atras mais ou menos, tive um susto, assistindo o programa do Jô vi aquela família se apresentando e mostrando toda sua arte, apenas me dei conta disto quando escutei o nome de um dos filhos que fez amizade comigo naquela época, Antônio é seu nome, fiquei embasbacado com sua apresentação tão igual àquela que eu me lembrava, a família hoje tem mais integrantes os artistas se multiplicaram desde aquele, cada vez mais distante, ano de 1993. segue um vídeo desta talentosa família.


Carroça de Mamulengos 30 anos
Façam mais umas pesquisas sobre este grupo no youtube, visitem o site deles é realmente uma jóia da nossa cultura popular, se você gosta deste tipo de arte vai se impressionar a vera.
link para o site http://www.carrocademamulengos.com.br/

A uns dois anos eu vi um filme chamado "Na natureza Selvagem" (Into the Wild), com roteiro e direção de Sean Penn o filme trata da história real de Christopher McCandless um cara genial, que toma algumas decisões consideradas impensadas por muiots de nós. Abre mão de uma promissora carreira, doa todas suas economias à caridade, cerca de 24 mil dolares, coloca uma mochila nas costas e parte para o Alasca a fim de viver uma verdadeira aventura.
Um filme a ser visto, obstinado leitor(já que conseguiu ler até aqui), este filme pode ser um divisor de águas em sua vida, talvez não lhe convença a colocar uma mochila nas costas e sair por aí, mas com toda certeza vai lhe fazer refletir que cada momento é único assim como cada fase das nossas vidas, devemos nos repensar enquanto seres sociais, se não chegar a este ponto de reflexão também vale a pena assistir, é uma história primorosa.


A aproximados 1950 anos atras um carinha chamado Paulo de Tarso, jornadeou por um monte de lugares ao redor do mediterrâneo, e fez uma revolução como andante, quem entrava em contato com Paulo não saia do mesmo jeito, ele trazia uma nova ótica sobre a vida, sua retória com forte influência greco-romana possuia uma roupagem nova, a fonte que lhe fornecia inspiração para tentar mudar o mundo estava nos ensinamentos do galileu Jesus de Nazaré, a pesar de não o ter conhecido pessoalmente, Paulo agia de acordo com o que ouvira sobre seus ensinamentos, ao ponto de dizer que já não vivia mas Cristo vivia nele.
Seu discurso eloquente fazia multidões inteiras paralizarem e pensarem, e os grandes o tinham por ameaça (nada diferente de hoje não acha?). Suas cartas às comunidades cristãs que ia formando com seus seguidores pelas cidades onde passava, continham um teor tão pessoal quanto extenso, basta notar a quantidade de epístolas suas publicadas no novo testamento, e que trazem mensagens para qualquer leitor hoje em dia, arrisque-se pelas epistolas de Paulo eu o desfio a continuar pensando da mesma forma após a sincera leitura.

Então quer seja por motivos artísticos, de encontro pessoal ou para propagar uma mensagem que mudaria o mundo, todas elas precisam de uma companhia especial, onde o simples ficar em casa não surtiria efeito algum, a companhia onipresente e por veses solitária de uma estrada.


A gente se encontra em algum posto de gasolina! Ou com um polegar pra cima.


5 comentários:

Kal-El Brito disse...

Um tanto quanto reflexivo, parte convidativa ao desapego dos "bem" materiais e ao sedentarismo.

LilO disse...

Verdade, "Nômade e por que não?"
afinal de contas ele nunk está em canto nenhum,
não se faz entender é ausente em qualquer situação!
Sempre quando escuto essa palavra, "Nômade", me vem a kbça uma figura distorcida de uma menssagem abolída,
imagem decaída, pura sensação nenhuma pretenção!
Mas essa vida normaL nos faz tão... "cães"... 0o

Mas mesmo assim sigamos a música da vida... "que é bonita, é bonita e é bonita..."
ou
"Nômades por que não?"

Braço mizangA!
blog bacana!

Lindi disse...

hehehe...sonho antigo,mas, espero que imortal... conhecer pessoas...desbravar lugares...sentir aromas únicos...experimentar a vida!!Um dia...talvez...rs...

Pra constar:com quem você assistiu mesmo esse filme titioo???kkkk


se cuida...
e continue escrevendo...
tô "começando" a gostar...rs...

Geday disse...

melhor sonho impossivel!
conehecer pessoas, lugares,culturas,comidas diferentes!
refletir sobre cada povo existente.
respeitar se tornaria a base depois desse feito.
mas a correria da vida nos faz viver num egoísmo sem fim do nosso mundinho muitas vezes infatil!é o modo d vida q dificulta tal realização.Mas o modo d pensar,esse sim ajuda a sairmos da toca e procurar ares puros sem a imposicção d pensamentos pré existentes....

adooooooooooro tuas linhas primo!
bjão!

Laryssa disse...

É um sonho de consumo de muitos(inclusive eu), contudo o nosso dia-a-dia não nos permite e ter coragem de viver como um nômade é ser uma pessoa muito forte para deixar tudo para trás e sempre seguir em frente, sem sentir apegos!