segunda-feira, 16 de junho de 2008

quinta-feira, 12 de junho de 2008







"Mastruz e erva-cidreira

debaixo dum jatobá
menino querendo olhar
as calça da lavadeira
um chiado de porteira
um fole de oito baixo
pitomba boa no cacho
um canário cantador
caminhão de eleitor
com os voto tudo vendido
isso é cagado e cuspido
paisagem de interior."

Esses versos são fruto da mente marcada pelo nordestinismo de um cabra nascido em minha Campina Grande no estado da Paraíba.
Jessier Quirino é Arquiteto de Formação, porém seus dotes ultrapassam os calculos dos projetos arquitetônicos, antes é um apreciador e divulgador da cultura matuta.
É autor de Vários Livros onde expõe em suas poesias o cotidiano do povo do interior de um modo bastante característico e fidedigno.
Paisagem de Interior, A morte do matador, Voltando pro Nordeste são títulos de poesias em que Jessié empresta todo o seu conhecimento acerca do linguajar e do modo de viver do cabra que mora no interior.
Numa colher de chá procês eu vou encarcar o link pro site dele aqui, mas não caiam no costume não:
www.jessierquirino.com.br .
Dê uma googlada no nome de Jessier e você vai encontrar muito material, ouça, leia e comprove apreciando os versos de um verdadeiro menestrel Nordestino, que conduz com talento e simplicidade o legado deixado por Patativa.

segunda-feira, 9 de junho de 2008



Lembro-me que na época da graduação uma das discurções mais acaloradas entre um grande amigo Jefferson(verminose) e eu, ocorreu pelo fato de eu ter dito que os SKINHEADS sempre foram Neo-Nazistas, e o Jefferson categoricamente me corrigiu e depois de muita discursão e xingamentos de ambos os lados eu me senti curioso sobre o assunto e dei uma googlada pra saber mais sobre o histórico deste peculiar grupo da nossa sociedade, e acabei descobrindo que o verminoso tinha razão, em partes, no que dizia. Descobri que a cultura Skinhead nos primórdios do movimento estava ligada à música, mais precisamente ritmos como o ska, soul, rocksteady e reggae. O lance é que aqui no Brasil brasileiro surgiu uma subcultura derivada dos Skinheads que foram conhecidos por CARECAS, este grupo tem sido pivô de muitos ataques de cunho racista, homofóbico e xenofóbico.
Bom mas por que eu entrei nesse assunto aqui no meu blog?
primeiro por que eu quis!

Segundo por que em São Paulo neste fim de semana, três carinhas espancaram um policial(à paisana) que tentou defender um jovem que estava sendo espancado por ser negro. Há suspeitas que os jovens façam parte de algum grupo neo-nazista. Esta manhã no programa da rede Globo, Bom dia Brasil, foi dito que os "SKINHEADS" já estavam presos.
Entendi então o porque eu tinha na cabeça que os SKINHEADS eram os culpados de todos os crimes de racismo e intolerância na sociedade. Esse bolo tem ingredientes muito simples: Reunião de Jovens sem ideologia e propensos à violência se identificando com uma causa, Mídia taxando toda atitude preconceituosa como ação skinhead e, por fim, uma atitude pior, o cidadão comum não busca embasar seus conhecimentos estudando, lendo, pesquisando, antes prefere que a tv e outros meios lhes empurrem seus conceitos goela abaixo.

Não sou Skinhead, não simpatizo com suas ideologias, não tenho motivos para defender o movimento, e não o estou fazendo, apenas estou alertando para o fato de que as vezes julgamos mau determinado grupo de pessoas.
No final vi que meu Brother Verminose tinha um pingo de razão, e eu como sempre nunca posso deixar de ter a minha.

Buenas semanas!

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Mangaiero digital


"Fumo de rolo arreio de cangalha Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Bolo de milho broa e cocada
Eu tenho pra vender, quem quer comprar..."
(Feira de Mangaio Sivuca)

Assim como na feira descrita pelo Mestre Sivuca, esse blog nasceu com
a missão de reunir vários assuntos que me interessam.
Aqui quero me sentir a vontade para falar sobre: quadrinhos,
ciências,Religião,Tecnologia, Artes, Política, enfim, tudo o que me der na telha.

Começo hoje e não sei aonde isso vai parar!